Chile - País de extremos

Destino Chile - País de extremos - Clube Turismo Araraquara / SP

Isolado do resto da América do Sul e do mundo, na altura do oeste dos Andes, o Chile possui o Oceano pacífico ao leste, o seco Deserto do Atacama ao norte e as águas impenetráveis da Patagônia ao sul.

De seus extremos a sua capital cosmopolita, Santiago, em seu coração, as cidades do país irão de unir em 2018 para comemorar os 200 anos de independência do país.

Neste extenso território de amplos horizontes, se deixe invadir pela sensação de estar vivo. Você pode se conectar com a natureza ou explorar terras primitivas. E, ao mesmo tempo, o povo chileno e toda sua cultura vão surpreender você com sua amabilidade e hospitalidade.

Com o passar dos anos, o Chile tem se consolidado como um dos mais atraentes e valorizados destinos do nosso continente.

Patagônia

Uma área que se divide entre dois países, Chile e Argentina, a Patagônia é em grande parte desabitada, mas vários pontos em ambos os países possuem boa estrutura hoteleira e turística.

A parte chilena da Patagônia compreende a região de Los Lagos, o sítio arqueológico de Monte Verde, as ilhas a sul das regiões de Aisén e Magallanes, incluindo o lado ocidental da Terra do Fogo e do Cabo Horn.

Durante o verão, os dias são mais longos e o frio menos intenso, o que torna a melhor época para viajar para a extensa região. É de lá, inclusive, que partem as excursões para a Antártida e onde é possível apreciar as mais diferentes espécies de animais marinhos.

Deserto de Atacama

Destino para o ano inteiro, o Deserto do Atacama é o mais alto e mais seco do mundo, mas pode e merece ser visitado em qualquer época do ano. Para quem escolhe ir no inverno, será recompensado pelas paisagens de neve, já para quem decide ir no verão, a boa notícia é que os passeios, em sua maioria, acontecem nos períodos do dia de temperatura mais amena nesse oásis em plena sintonia com a natureza.

No coração do deserto encontramos o pequeno vilarejo de San Pedro de Atacama, que recebe milhares de turistas todos os anos por sua paisagem singular, mas ainda assim preserva ruas de terra e arquitetura rústica. Sem aeroporto na cidade, os voos descem em Calama, que fica a pouco menos de 100 km.

Santiago

Porta de entrada para o país, Santiago do Chile tem atrações de tirar o fôlego, gastronomia e cultura ricas.

Com sua arquitetura diversificada a começar pela Igreja de São Francisco, passando pelos modernos prédios espelhados que dividem cenário com os demais cheios de história para contar em uma cidade cosmopolita, Santiago é uma das capitais mais queridas da América do Sul.

Se a época do ano escolhida para a viagem for o inverno, vale a pena conferir as estações de esqui que ficam perto da cidade, aproveitando o máximo da estadia. Ou, também ao redor da cidade, mas em outras épocas do ano, vale a pena partir de Santiago para conhecer as famosas vinícolas que ficam aos arredores e degustar os melhores vinhos da região.

Descreva as informações e características do lugar (clima, cultura, gastronomia, atrativos), assim como dicas de segurança e a sua experiência de viagem etc.
Declaro que li e estou de acordo com os termos
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Conheça outros destinos

Pará - A porta de entrada para Amazônia - Clube Turismo Araraquara / SP Pará - A porta de entrada para Amazônia

Sendo o segundo maior estado do Brasil, o Pará é detentor de cerca de 50% dos atrativos naturais da região amazônica, além de ser dono de uma culinária exótica, riqueza arquitetônica e cultural de encantar qualquer um, e ainda abençoado pela natureza. Como porta de entrada para a Amazônia, o estado oferece grandes atrativos aos turistas. O estímulo à atividade turística se dá por obras que embelezam as cidades e os pólos turísticos paraenses, que contemplam diversas vertentes, em sua maioria valorizando suas raízes e pluralidade cultural. O processo de formação histórica do Pará é constituído de influências de inúmeras etnias e tradições que se revelam em seus conjuntos arquitetônicos, ricas manifestações culturais, religiosidade e gastronomia. Desde roteiros para quem curte aventura, trilhas, contato direto com a fauna e flora, até para quem busca tranquilidade em um litoral atlântico ou à margem de grandes rios. Belém A capital dispõe de uma infraestrutura turística pronta para o grande fluxo de visitantes que vem recebendo nos últimos anos. O Ver-o-Peso, a maior feira a céu aberto da América Latina, reúne centenas de barracas de frutas, peixes, ervas medicinais, temperos, doces, essências e artesanato. Perfeito para experimentar o que existir de mais exótico da cultura paraense. Logo ao lado do mercado Ver-o-Peso está a Estação das Docas, um polo turístico de 32 mil metros quadrados dividido em três armazéns de ferro que foram transformados em um grande centro turístico, oferecendo diversas opções de entretenimento, como restaurantes de luxo, exposições de arte e shows à orla da capital. O Theatro da Paz, o parque Mangal das Garças e a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, ponto de partida da maior festa religiosa do país, o Círio de Nazaré, complementam os atrativos turísticos da cidade. Alter do chão Uma aldeia de pescadores aos arredores de Santarém, qual acesso se dá apenas por barco ou avião, Alter do Chão é caracterizado por inúmeras ilhas banhadas pelas águas do Rio Tapajós, sendo eleita como o Caribe Brasileiro pelo jornal britânico The Guardian. Além disso, o cenário paradisíaco também foi eleito como o detentor da praia de água doce mais bonita do mundo e o lugar ideal para aproveitar o verão amazônico, entre os meses de agosto a dezembro. Os turistas podem fazer caminhadas ecológicas e visitar áreas de preservação, também é possível fazer passeios de barcos e lanchas para os lagos e a Floresta Nacional do Tapajós. Xingu A paisagem natural da região se caracteriza pela floresta densa, com árvores de grande porte, fauna rica e diversificada. Uma região que atrai os amantes da pesca esportiva, onde já existe o Sítio Pesqueiro do Xingu. A questão indígena transformou o Xingu em uma marca internacional, sendo o terceiro maior parque indígena do mundo. Atualmente, vivem na área índios de 14 etnias diferentes pertencentes aos 4 grandes troncos linguísticos indígenas do nosso país, tornando a região um lugar perfeito para o etnoturismo no Brasil. Ilha do Marajó A apenas 3 horas da capital, de barco ou balsa pelas baías do Guajará e do Marajó, é o maior arquipélago fluvial e marítimo do mundo, sendo imperdível aos que querem conhecer o melhor do estado. O arquipélago do Marajó é dividido em 16 municípios, sendo Soure, Salvaterra e Ponta de Pedras os destinos consolidados para os segmentos turísticos cultural, rural e ecoturismo, além de sua natureza exuberante, belas praias e fazendas de búfalos. Símbolos da ilha, os búfalos são vistos facilmente em grandes manadas ou dispersos nas áreas urbanas. Os fãs dos esportes de aventura também se divertem na área com a prática de caminhadas na selva, rafting e ciclismo pelas praias. Fonte: setur.pa.gov.br / uol.com.br

Rio Grande do Norte - Estado do Sol do Brasil - Clube Turismo Araraquara / SP Rio Grande do Norte - Estado do Sol do Brasil

O Rio Grande do Norte é um estado deslumbrante, riquíssimo de história e belezas naturais. Natal, a capital potiguar, concentra vários atrativos turísticos, históricos e naturais, entre eles a Fortaleza dos Reis Magos (1598), construída em forma de estrela entre o rio Potengi e o mar. A capital potiguar é um destino turístico cheio de opções e surpresas. Lagoas, dunas, praias urbanas com agito noturno, comidas típicas nordestinas e artesanato para todos os gostos. O principal point é a Ponta Negra.   DICA DO VIAJANTE “Estive em Natal em novembro de 2016, um lugar abençoado pela natureza, uma cidade agradável, de clima tropical e ar incrivelmente puro, emoldurados por dunas, falésias e piscinas naturais, mar de cores azuis tanto partindo para o litoral norte ou para o sul. No meio da cidade está preservado o Parque das Dunas segunda maior área de preservação urbana no país. Tem passeios para todos os gostos seja de bugs, ônibus, carroças, quadriciclos, dromedários, táxis ou a pé, os passeios são as atividades mais atrativas para quem visita Natal. City Tour, Pipa, Barra do Cunhaú, Maracajaú com Mergulho, Litoral Norte com buggy, Baiá Formosa, Galinhos (é um pouco longe para chegar, mas é maravilhoso, vale muito a pena conhecer), Punaú (é uma ótima opção para quem tem crianças, ambiente agradável), Perobas, Genipabu, João Pessoa (um passeio que começa cedinho para conhecer João Pessoa, passando pelo pontos turísticos e finaliza o dia apreciando o belíssimo por do sol na Praia do Jacaré com Jurandy do Sax tocando Bolero de Ravel) e outros. Para compras tem Mercado de Artesanato de Ponta Negra, Shopping Mãos de Arte e outros. Ponta Negra onde está parte dos restaurantes vale a pena experimentar as delícias típicas da culinária local, as estrelas são a carne-de-sol, macaxeira, o feijão verde, arroz de leite, peixes e os deliciosos camarões. Guardar espaço para as sobremesas, que traz doce de caju, cocadas, castanhas e o famoso bolo de rolo. Restaurante Farofa D'água, Camarões, Camarões Potiguar, Tábua de Carne e outros. Um destino maravilhoso que eu voltaria com certeza.” Bianca Castellani (Americana, São Paulo)   Principais destinos.   Parnamirim - Parnamirim, também na região metropolitana de Natal, é a terceira maior cidade potiguar e reúne atrativos importantes como a Base Aérea Militar, a Barreira do Inferno (Centro de Lançamento de Foguetes e de Cultura Espacial) e o maior cajueiro do mundo, registrado no Guinness Book. As praias de Pium, Cotovelo e Pirangi, com falésias e passeios de barco, além de mergulho nos parrachos, estão entre as mais populares. A cidade entrou para história pela sua importante participação na II Guerra Mundial, quando ficou conhecida como “Trampolim da Vitória”. Morro do Careca - Principal cartão-postal de Natal, o Morro do Careca é uma duna no extremo da praia de Ponta Negra onde antigamente as pessoas praticavam, entre outras coisas, o esquibunda. Atualmente está proibido subir na duna, mas é interessante observá-la de longe, tanto de dia quanto à noite – quando recebe iluminação especial. O acesso deixou de existir, mas o lugar continua sendo o mais conhecido na cidade. Baía Formosa - Baía Formosa é a cidade-praia localizada no Litoral Sul do RN que conta com a maior reserva de mata atlântica sobre dunas do Estado. A Mata Estrela é abrigo de centenas de espécies e pode ser descoberta através de trilhas com o acompanhamento de um guia especializado. Descortina-se nesse ambiente natural, uma atração especial: a Lagoa da Araraquara, cujas águas escuras lhe deram o apelido de Lagoa da Coca-Cola. Segundo a crença local, estas águas rejuvenescem e curam. Baía Formosa é composta ainda pelas praias de Sagi, do Farol, Perobas e Barreirinhas, predestinadas ao banho ou à contemplação, onde a natureza esculpiu formas exuberantes com paisagens selvagens e místicas. Rodeada por falésias e dunas, de onde se desfruta um belo visual, é uma excelente escolha para quem quer gozar de tranqüilidade e paisagem natural. Baía Formosa ainda divide com Pipa e Barra de Tabatinga a preferência dos surfistas vindos dos mais diversos cantos do Brasil e do mundo. Praia de Pipa - Badalada e deslumbrante, a Praia de Pipa atrai viajantes de todo o mundo que desejam aventura. Com uma vida noturna agitada, diversos eventos durante todo o ano, e uma beleza natural de cair o queixo, Pipa é um destino para todas as idades. Seja um para fazer um passeio de barco na companhia de golfinhos, para surfar nas agitadas ondas da Praia do Amor, ou para se deliciar nos diversos restaurantes que oferecem opções que vão da culinária local até o melhor da gastronomia mundial, esta praia possui atrativos para viajante nenhum botar defeito. São Miguel do Gostoso - Uma curiosa placa na entrada da cidade, onde se lê “aqui se faz gostoso” dá boas-vindas aos visitantes nesta pitoresca cidade-praia. São Miguel do Gostoso ganhou fama a partir do final dos anos 90 e é hoje um dos principais destinos dos amantes de wind e kitesurf que visitam o Estado. Gostoso está exatamente na “esquina do continente”, onde se diz que “o vento faz a curva” e por isso as praias, com pouca formação de onda e ventos fortes durante praticamente todo o ano, tornaram-se o paraíso dos amantes dos esportes náuticos. Suas praias: enseada Ponta do Santo Cristo, praia da Xepa e Maceió, são praticamente inabitadas o ano inteiro, fazendo de São Miguel do Gostoso o destino ideal também para quem procura tranquilidade e contato com a natureza. Um belo conjunto de falésias, conhecido como Tourinhos, também encanta os visitantes. São Miguel possui ainda uma rica tradição em cultura popular: bumba-meu-boi, pastoril e o artesanato são destaques da cidade. A culinária é outra atração: além dos frutos do mar, em Gostoso come-se o famoso arroz de polvo, que faz juz ao nome da cidade e é um dos pratos mais pedidos na Região. Jenipabu - Aliadas aos bugues, as dunas são um dos principais atrativos que fazem de Genipabu um verdadeiro parque de diversões no meio do nada. Os passeios podem ser "com ou sem emoção", o que significa mais velocidade e manobras radicais pelas dunas móveis e fixas, vez por outra abençoadas com lagoas de águas doce. Do topo do monte de areia é possível apreciar a Lagoa de Genipabu. O percurso termina na praia de Genipabu, tranquila e protegida por uma coluna de recifes. Mas aproveite para fazer uma parada no Bar 21, certamente um dos mais fotografados do mundo pela perfeição do cenário: ele fica aos pés da duna, ao lado de um coqueiro retorcido pelo vento. Parrachos de Maracajaú e Perobas - A Praia de Maracajaú fica 60 Km ao norte de Natal e é famosa pela barreira de corais localmente conhecido como os parrachos, distante 7 Km da costa. Durante a maré baixa os parrachos se transformam em uma imensa piscina natural de água cristalina, com profundidade variando entre 1.0 e 3.0 m e com uma bela e rica fauna e flora marinha, é considerado um dos 10 melhores locais do Brasil para prática de mergulho livre (snorkeling). Além dos Parrachos, Maracajaú têm belíssimas dunas e lagoas, onde se pode passear de Quadriciclo, Stand up na lagoa A 70 km de Natal, os Parrachos de Perobas são mais rasinhos que os de Maracajaú (e com menos vida marinha), mas contam com águas ainda mais transparentes. Chapada do Apodi - Uma formação geológica única que divide duas bacias hidrográficas (Jaguaribe e Apodi), e ainda guarda registros surpreendentes do homem pré-histórico. Esta chapada possui menor infra-estrutura turística, se comparada às chamadas dos Guimarães, Veadeiros ou Diamantina, mas, isto não significa que ela seja menos encantadora. Na área é possível visitar o Lajedo de Soledade, além de plantações fruticultura e as misteriosas pinturas rupestres. Maior Cajueiro do Mundo - O lar do maior do mundo é no Rio Grande do Norte. São 8500 metros quadrados ocupados pelo cajueiro de Pirangi. De acordo com estimativas, a planta produz cerca de 80 mil cajus por safra, o que dá mais de 2 toneladas e meias da fruta. Se fosse comparar com o tamanho e a produção de um cajueiro convencional, seria o equivalente à 70 árvores destas ocupando um mesmo espaço.

Alagoas - Lar da Costa dos Corais - Clube Turismo Araraquara / SP Alagoas - Lar da Costa dos Corais

Principais Destinos Maceió - Conhecida como o Paraíso das Águas, Maceió abriga praias e piscinas naturais de águas cristalinas e mornas. Além de praia e sol, a cidade oferece aos seus apreciadores as lagoas, o artesanato do Pontal da Barra, museus, folguedos, teatros e igrejas. Praias Surf, stand up paddle, windsurf e uma gastronomia incomparável. É possível vivenciar todas essas experiências em um cenário único ao conhecer Maceió de ponta a ponta. De Pajuçara a Ipioca, a cidade prova o motivo de receber o título de orla mais bonita do Brasil! Costa dos Corais - A região Costa dos Corais, no Litoral Norte de Alagoas, carrega esse nome por possuir a segunda maior barreira de corais do mundo. As belas praias de águas mornas e piscinas naturais, além de resorts e belas pousadas de charme, formam o cenário. O turismo sustentável e a gastronomia de alto padrão, com pratos feitos a base de frutos do mar, são outros diferenciais que atraem os visitantes. Tranquilidade e requinte encontram o destino perfeito na Rota Ecológica, composta pelos municípios do Passo de Camaragibe, São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras. São aproximadamente 55km cercados de vastos coqueirais e um imenso mar azul. Quilombos - A região Quilombola de Alagoas, na Zona da Mata, atrai, todos os anos, os visitantes interessados em conhecer o berço da resistência negra e o passado de luta e tradição do povo alagoano. No passeio à Serra da Barriga, em União dos Palmares, a identidade do povo quilombola permanece viva. No dia 20 de novembro, quando se comemora a Consciência Negra, o lugar recebe uma programação especial, com subida à Serra, tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) . Caminhos do São Francisco - O banho nas águas doces do Rio São Francisco é uma experiência única para quem visita Alagoas. Aqui, o cenário se torna ainda mais deslumbrante através dos contrastes do sertão! Navegar por meio de embarcações no Velho Chico é vivenciar a dimensão da natureza. Durante o passeio é possível ver os paredões de arenitos, grutas e até pinturas rupestres, onde a aridez da terra contrasta com o leito do rio formando um belo cenário. O mergulho entre as formações rochosas em um dos melhores locais do Brasil para o banho de água doce é uma ótima pedida! Maragogi - Em Maragogi fica o maior conjunto de piscinas naturais de Alagoas, chamado de Galés. Quando a maré baixa, catamarãs levam turistas até o local. Suas praias têm mar tranquilo, areias alvas e densos coqueirais, destacando-se as de Barra Grande, Burgalhau, Peroba e São Bento. O passeio às piscinas naturais é imperdível, onde, a 6 quilômetros da costa, pode-se observar a Área de Proteção Ambiental onde estão os arrecifes de corais.

phone
Clube Turismo Araraquara / SP

Aqui você encontra todos os nossos contatos!