Paraíba - O lar do Extremo Oriental

Destino Paraíba - O lar do Extremo Oriental - Clube Turismo Online

Ah, Paraíba, meu amor, eu estava da saída, mas, eu vou ficar! Essa frase, retirada de uma das musicas famosas que homenageiam o estado, representam bastante o sentimento do viajante que experimenta uma visita às belezas paraibanas pela 1ª vez. São tantas as belezas naturais espalhadas pelo estado que é inevitável a sensação de que estamos perdendo algo na saída.

João Pessoa - A cidade nas Américas onde o sol nasce primeiro, possui um charme e uma simplicidade que é só sua. João Pessoa, que já foi eleita a 2ª capital mais verde do mundo, permanece como a capital mais verde do Brasil, possuindo diversas áreas de preservação de Mata Atlântica, sendo as mais conhecidas a Mata do Buraquinho, com 515 hectares, e o Parque Arruda Câmara, ou popularmente chamado de ‘Bica’, um misto de zoológico e reserva florestal, com exemplares da fauna e flora brasileiras, assim como animais de outros continentes.

Fundada em 1585, João Pessoa é a 3ª capital de estado mais antiga do Brasil, e possui um grande acervo de edificações históricas no centro da cidade, onde está localizado o Parque Solón de Lucena, um dos seus principais cartões postais. Litorânea, suas praias urbanas diferem das outras capitais do Nordeste, já que é proibida a construção de edificações com mais de três andares (até 10m). Os destaques são as praias do Cabo Branco e do Bessa.

Praia do Jacaré - O famoso espetáculo do pôr do sol na Praia do Jacaré, responsável por reunir centenas de turistas todos os dias em Cabedelo, cidade vizinha ao norte de João Pessoa.

Um dos maiores charmes do seu pôr do sol é quando o músico Jurandy do Sax executa o Bolero de Ravel, composição do francês Maurice Ravel (1875-1937), de dentro do rio, enquanto o sol vai se escondendo atrás da mata ciliar. Às 17 horas, ele surge à bordo de uma canoa, com o cabelo amarrado em um rabo de cavalo e vestido de branco da cabeças aos pés. Parecendo entrar na dança, gaivotas cortam o céu, e o rio vai se tingindo de dourado. A cena resume um pouco a beleza da Paraíba.

Tambaba – A 25 Km de João Pessoa, localizada à Barra de Garaú, no município do Conde, em Tambaba, foi instalada o primeiro campo de naturismo oficial do Nordeste, o segundo do Brasil. Com uma extensão de 1,7 metros de pura beleza selvagem, estando protegida graças as suas falésias altas e íngremes, ora cobertas por uma mata densa, ora desnudas, enaltecendo o colorido dos terrenos de cor avermelhada ou branca. O acesso a esta praia é facilitado pela Rodovia Estadual PB-008, integrada à rodovia Conde-Jacumã.

Vale dos Dinossauros em Sousa - Distante 427 km de João Pessoa, nos arredores do município de Sousa, está localizado o Monumento Natural ‘Vale dos Dinossauros’que tem atraído pesquisadores e turistas brasileiros e do exterior pela variada quantidade de pegadas presentes em uma área de 40 hectares, dentro de uma Unidade de Conservação.Estudos já realizados por pesquisadores no local confirmam os registros de pelo menos quatro diferentes espécies. O Monumento do Vale mantém preservados os vestígios dos animais que habitavam a bacia sedimentar de Sousa, fato ocorrido há cerca de 165 milhões de anos.

Descreva as informações e características do lugar (clima, cultura, gastronomia, atrativos), assim como dicas de segurança e a sua experiência de viagem etc.
Declaro que li e estou de acordo com os termos
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Conheça outros destinos

Maranhão - Grande, diverso e deslumbrante! - Clube Turismo Online Maranhão - Grande, diverso e deslumbrante!

Com uma área de 331.983 Km², ou seja, 3,9% do território brasileiro, o Maranhão é o oitavo maior Estado em extensão territorial do Brasil, e o segundo maior Estado do Nordeste, ficando atrás apenas da Bahia. As divisas territoriais que configuram o estado do Maranhão são de extrema abundância e diversidade natural, caracterizada, sobretudo pelo encontro de dois importantes ecossistemas: o Ecossistema Amazônico, que se manifesta do noroeste até o sertão do estado, e do Ecossistema Cerrado, distribuído em duas partes, do leste para o centro. É também uma terra de cultura e história imponentes, herança cultural dos movimentos colonizadores europeus – francês, holandês e português. Entre fortificações, conflitos de colonos e religiosos missionários, entre as influências da Companhia do Comércio do Maranhão e do Grão Pará, e da influência das economias da cana-de-açúcar e do algodão. (Fonte: Governo do Maranhão) Gastronomia - A culinária maranhense surgiu de uma mistura de influências de europeus, índios, africanos e outros povos, uma surpreendente união de sabores que resultou em um delicioso e vasto repertório de receitas. É até difícil dizer qual dos pratos maranhenses melhor satisfaz esse exigente sentido chamado paladar. Confira alguns destaques de dar água na boca: Arroz de cuxá - Tem como tem como principal ingrediente uma folha azedinha chamada vinagreira, além de camarão seco e gergelim. Vai muito bem com frutos do mar. Caldeirada e torta de camarão, de sururu e caranguejo, Peixada à base da nobre pescada, anchova na brasa; O camarão grelhado preparado em Atins.   Principais destinos:   São Luis / Alcântara - A capital São Luís recebeu da UNESCO, em 1997, o título de Patrimônio Histórico-Cultural da Humanidade, por sua importância enquanto cidade colonial com seus casarões revestidos de azulejos portugueses pintados à mão. Alcântara, sede da aristocracia maranhense, foi a primeira cidade do estado tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Hoje, suas ruínas guardam a memória desse tempo glorioso e dividem atenções com o ícone tecnológico do estado: o Centro de Lançamento de Alcântara, o segundo centro de lançamentos de foguetes do Brasil. Pacata e tranquila, a cidade é cercada por uma natureza exuberante e é, sem dúvida, a mais imponente cidade histórica da Amazônia Legal. Lençóis Maranhenses - Onde mais você poderia encontrar um deserto repleto de lagoas com 155 mil hectares de paisagem deslumbrantes, cheio de dunas com até 40 metros de altura e lagoas de água doce e cristalina? Os Lençóis Maranhenses ficam no litoral oriental do Maranhão e compreende os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas, este último sendo o principal portão de entrada para esta fantástica beleza natural. São O Parque é considerado uma formação geológica rara no planeta, apresentando um ecossistema único e riquíssimo. As dunas chegam do litoral adentrando em até 25 Km da costa e as inúmeras e límpidas lagoas se formam com as chuvas do período chuvoso que vai de dezembro até abril. A melhor época para se visitar os Lençóis é de maio até o início de outubro, sendo o ápice nos meses de junho e julho, quando as lagoas estão cheias e indicadas para mergulhos. Mas isso não quer dizer que o Parque não ofereça atrações durante os outros seis meses do ano. O convívio com a cultura e comunidades locais, entretenimento e aventura nas dunas do Parque é o que não faltam. Delta das Américas - Localizado a nordeste do Estado, na divisa com o Piauí, o Delta envolve a região sob influência do Delta do Rio Parnaíba, que tem setenta por cento da sua área no Maranhão. Tutóia, Paulino Neves e Araioses são os principais municípios. Deste último partem excursões turísticas para o Delta. Em Tutóia as atrações imperdíveis são as praias do Arpoador e Namorados, as Lagoas da Taboa, Jacaré, da Areia e Lagoinha. Em Araioses os destaques são as praias do Farol, do Caju, dos Guarás e dos Poldros, as ilhas do Caju, dos Poldros, do Carrapato, Carnaubeiras e Canárias, a igreja de Nossa Senhora da Conceição, do século XIX. Delta do Rio Parnaíba - Este é o 3º maior delta oceânico do mundo. Raro fenômeno da natureza que ocorre apenas no rio Nilo, na África, e Mekong, no Vietnã. Sua configuração se assemelha a uma mão aberta, onde os dedos representam os principais afluentes do Parnaíba, que se ramificam formando um grandioso santuário ecológico. Rios, flora, fauna, dunas de areias alvas, banhos em lagoas e de mar são alguns atrativos que o lugar oferece. Inesquecível!! Chapada das Mesas - O Parque Nacional da Chapada das Mesas protege 160.046 hectares de Cerrado nos municípios de Carolina, Riachão, Estreito e Imperatriz, no centro-sul do Maranhão. FONTE - http://www.turismo.ma.gov.br/roteiro-chapada-das-mesas/

Pará - A porta de entrada para Amazônia - Clube Turismo Online Pará - A porta de entrada para Amazônia

Sendo o segundo maior estado do Brasil, o Pará é detentor de cerca de 50% dos atrativos naturais da região amazônica, além de ser dono de uma culinária exótica, riqueza arquitetônica e cultural de encantar qualquer um, e ainda abençoado pela natureza. Como porta de entrada para a Amazônia, o estado oferece grandes atrativos aos turistas. O estímulo à atividade turística se dá por obras que embelezam as cidades e os pólos turísticos paraenses, que contemplam diversas vertentes, em sua maioria valorizando suas raízes e pluralidade cultural. O processo de formação histórica do Pará é constituído de influências de inúmeras etnias e tradições que se revelam em seus conjuntos arquitetônicos, ricas manifestações culturais, religiosidade e gastronomia. Desde roteiros para quem curte aventura, trilhas, contato direto com a fauna e flora, até para quem busca tranquilidade em um litoral atlântico ou à margem de grandes rios. Belém A capital dispõe de uma infraestrutura turística pronta para o grande fluxo de visitantes que vem recebendo nos últimos anos. O Ver-o-Peso, a maior feira a céu aberto da América Latina, reúne centenas de barracas de frutas, peixes, ervas medicinais, temperos, doces, essências e artesanato. Perfeito para experimentar o que existir de mais exótico da cultura paraense. Logo ao lado do mercado Ver-o-Peso está a Estação das Docas, um polo turístico de 32 mil metros quadrados dividido em três armazéns de ferro que foram transformados em um grande centro turístico, oferecendo diversas opções de entretenimento, como restaurantes de luxo, exposições de arte e shows à orla da capital. O Theatro da Paz, o parque Mangal das Garças e a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, ponto de partida da maior festa religiosa do país, o Círio de Nazaré, complementam os atrativos turísticos da cidade. Alter do chão Uma aldeia de pescadores aos arredores de Santarém, qual acesso se dá apenas por barco ou avião, Alter do Chão é caracterizado por inúmeras ilhas banhadas pelas águas do Rio Tapajós, sendo eleita como o Caribe Brasileiro pelo jornal britânico The Guardian. Além disso, o cenário paradisíaco também foi eleito como o detentor da praia de água doce mais bonita do mundo e o lugar ideal para aproveitar o verão amazônico, entre os meses de agosto a dezembro. Os turistas podem fazer caminhadas ecológicas e visitar áreas de preservação, também é possível fazer passeios de barcos e lanchas para os lagos e a Floresta Nacional do Tapajós. Xingu A paisagem natural da região se caracteriza pela floresta densa, com árvores de grande porte, fauna rica e diversificada. Uma região que atrai os amantes da pesca esportiva, onde já existe o Sítio Pesqueiro do Xingu. A questão indígena transformou o Xingu em uma marca internacional, sendo o terceiro maior parque indígena do mundo. Atualmente, vivem na área índios de 14 etnias diferentes pertencentes aos 4 grandes troncos linguísticos indígenas do nosso país, tornando a região um lugar perfeito para o etnoturismo no Brasil. Ilha do Marajó A apenas 3 horas da capital, de barco ou balsa pelas baías do Guajará e do Marajó, é o maior arquipélago fluvial e marítimo do mundo, sendo imperdível aos que querem conhecer o melhor do estado. O arquipélago do Marajó é dividido em 16 municípios, sendo Soure, Salvaterra e Ponta de Pedras os destinos consolidados para os segmentos turísticos cultural, rural e ecoturismo, além de sua natureza exuberante, belas praias e fazendas de búfalos. Símbolos da ilha, os búfalos são vistos facilmente em grandes manadas ou dispersos nas áreas urbanas. Os fãs dos esportes de aventura também se divertem na área com a prática de caminhadas na selva, rafting e ciclismo pelas praias. Fonte: setur.pa.gov.br / uol.com.br

África do Sul - Cidade do Cabo - Clube Turismo Online África do Sul - Cidade do Cabo

DICA DO VIAJANTE “Fiz um intercâmbio em 2009. Gostei muito do clima, das pessoas e do curso. Visitei vários lugares, como praias, montanhas, museus. Uma dica que eu deixo, e que recebi é, como o voo tem conexão, não aceitar a ajuda das pessoas no aeroporto de Johanesburgo, a não ser que a mesma seja funcionário. Como eles acharam que eu era indiana, nem fui revistada, já minha amiga, eles disseram que parecia uma sul africana, foi revistada por 3 vezes, achei super preconceituoso. Quanto ao transporte público, é quase inexistente. Então é melhor contratar o transporte em alguma agência, ou andar de táxi. Quem tem vontade de fazer um intercâmbio para aprender inglês lá, acho super válido, pois o custo é bem mais baixo do que em outros países.” Roberta Ribeiro, (Duque de Caxias, Rio de Janeiro)

phone
Clube Turismo Online

Aqui você encontra todos os nossos contatos!