Dicas e regras para o transporte de animais de estimação em aviões

Uma preocupação recorrente por por parte das pessoas que possuem animais de estimação é o que fazer com eles durante uma viagem de férias ou até mesmo durante uma mudança, por exemplo.

Pensando nisso as companhias aéreas tem se especializado cada vez mais nos transporte de cães e gatos, seja no compartimento de bagagens ou na Cabine do avião.

Mas viajar com os pets apesar de não ser uma tarefa simples é totalmente viável. Por isso separamos uma guia prático com algumas orientações úteis para o planejamento e adaptação do animal a fim de que ele sofra o mínimo possível com todo o estresse ocasionado pela viagem.

Caixa de Transporte
O primeiro passo é buscar uma caixa de transporte adequada, pode ser rígida ou flexível, com boa ventilação, resistentes a vazamentos e grande o suficiente para que o animal possa se movimentar, deitar para o lado e girar em torno do seu próprio corpo podendo se acomodar de forma confortável, afinal ele deve permanecer dentro da caixa durante todo o voo e nos procedimentos de embarque e desembarque.

Consulte o site das companhias aéreas para verificar as recomendações e especificações de cada um delas. Você pode levar essas informações na loja para se certificar que vai comprar um produto adequado a esta finalidade.

Adaptação do Animal
Cerca de 15 dias antes da viagem, caso o animal ainda não esteja habituado as caixas de transporte é bom iniciar a adaptação e essas dicas podem ajudar nesse processo:

  • Torne a caixa de transporte um ambiente familiar para o animal. Deixe-a aberta em casa no local onde ele costuma ficar para que tenha fácil acesso.
  • Faça com que ela se torne um lugar agradável, ofereça petisco e brinquedos dentro dela.
  • Diariamente ofereça refeições ao animal dentro dela e a medida que ele for se sentindo confortável feche a portinha e abra novamente quando ele terminar a refeição. Com o passar dos dias aumente de forma supervisionada o tempo que o animal fica dentro da caixa, mesmo já tendo finalizado a refeição.
  • Uma vez acostumado com o esquema de alimentação, coloque o animal na caixa em outros momentos, principalmente nos que ele estiver mais tranquilo e procure se manter afastado para que ele se acostume com a sua ausência.

Documentação

É necessário apresentar um certificado de vacinação antirrábica para animais a partir de 3 meses de idade aplicada entre 30 dias e 1 ano da data da viagem. Caso ela esteja vencida ou não seja possível comprovar é necessário reaplica-la com pela menos 30 dias de antecedência do voo.

Cerca de uma semana antes da viagem procure um veterinário de sua confiança e peça a ele um atestado de saúde para viagens aéreas com seu animal. Cada cia aérea tem suas exigências, mas no geral atestados emitidos com 10 dias de antecedência são aceitos por todas as empresas nacionais. Vale ressaltar que calmantes não são recomendados a não ser que expressamente recomendados pelo veterinário, já que eles podem gerar efeitos colaterais, como: sedação excessiva, relaxamento muscular ou até excitação e ansiedade paradoxal.

Cuidados
Na véspera da viagem é recomendado dar um banho no animal e aparar as unhas. Ofereça alimentos leves e lembre-se que a última refeição deve ser feita 2 a 3h antes do embarque para evitar enjoos. Água deve ser oferecida à vontade, inclusive antes do voo para evitar que o animal fique desidratado.

Transporte
Evite embarcar com muita antecedência a não ser que o animal não fique tranquilo no ambiente do aeroporto. Brincar e oferecer carinho ajudam para que ele fique mais relaxado.
Caso o transporte seja feito na cabine o seu pet deve ser colocado embaixo do assento a sua frente (neste caso as cias costumam dar preferência aos assentos da janela e são evitadas as saídas de emergências, já que neste lugares não se pode colocar bagagem no chão de forma a obstruir a passagem das pessoas em uma possível situação de evacuação da aeronave).  

Caso o animal vá no porão, identifique-o e identifique também a caixa de transporte. Utilize um tapete higiênico para forrá-la e deixe uma pequena peça/pedaço de roupa com ele dentro da caixa. Leve a coleira e passeie com seu cão um pouco antes do voo. Incentive ele a urinar/defecar. Dê água.

No porão as caixas são mantidas presas ao chão com cordas e cintos e o ambiente é iluminado e pressurizado. No desembarque o animal é descarregado e colocado na área de retirada de bagagens. Ele não será colocado na esteira.

Informações complementares
Vale ressaltar que as companhias cobram taxas para realizar este transporte que variam de R$ 200,00 a R$ 300,00 por trecho e por animal e tem regras específicas quanto ao tamanho caixa, peso do pet, quantidade de animais por pessoa e por voo e nem todas oferecem o transporte no compartimento de carga. Por isso consulte o site da cia aérea ou fale com o seu agente de viagens para se informar antes de realizar qualquer procedimento.

Seguindo todas estas dicas não tem erro, você vai poder viajar com o seu companheiro, proporcionando ao seu animal todo o conforto e segurança.

Ah, antes que eu me esqueça! Alguns hotéis recebem animais e tem regras específicas para essa finalidade, mas este é um assunto para outro post. Continue acompanhando a nossa página para ficar por dentro dessa e de outras informações.

Fonte: Melhores Destinos

Clube Turismo Cascavel/PR

CNPJ: 31.386.632/0001-69

Razão social: Agencia de viagens e turismo cascavel ltda

Clube Turismo® é uma marca registrada de Uvl Viagens e Turismo LTDA

A Clube Turismo não é responsável por erros descritivos.

Este site trabalha 100% em criptografia SSL.

Copyright © 2021 Clube Turismo | Politica de segurança
Desenvolvido por Clube Turismo®