Península de Maraú – A Luz do sol do amanhecer

Por que ir à Península de Maraú?

Localizada na Costa do Dendê, na Bahia, a Península de Maraú pertence ao distrito de Maraú e está a 270 km de Salvador e 130 km de Ilhéus. São praticamente 40 km de praias quase desertas, com águas cristalinas, fauna e flora de cair o queixo. Carinhosamente chamada pela mídia de Polinésia Baiana, as praias mais conhecidas são Barra Grande, Saquaíra, Taipus de Fora e Algodões. Nessa região também está localizada a terceira maior baía do Brasil, a Baía de Camamu, onde deságua o rio Maraú. Uma curiosidade: circula um boato local que o escritor e aviador Antoine de Saint-Exupéry, autor de O Pequeno Príncipe visitou a região e permaneceu tempo suficiente para manter uma residência.

Um pouco da história da região

Maraú data de 1705, quando ainda era ocupada por uma tribo indígena e era conhecida por Mayrahú que significa “Luz do Sol ao Amanhecer”. Ao longo dos séculos, diferentes personagens construíram a história de Maraú, começando pelos índios, seguidos de escravos africanos, capuchinhos italianos e investidores ingleses. A Vila de Maraú era parte integrante da capitania de São Jorge dos Ilhéus, fez parte do grupo produtores de mandioca, do recôncavo açucareiro e suas singularidades rememoram heranças africanas.

Essa região foi estudada sob alguns aspectos, a começar pela sua condição de capitania até 1761 e em seguida por aspectos como a diáspora negra em Camamu, formação de quilombos e tráfico ilegal na região. Mas a Vila de Maraú não se restringiria a figurar apenas no conjunto dos estudos gerais regionais, pois sua história de três séculos, especialmente o XIX, revela especificidades passíveis de um estudo profícuo, tais como as heranças africanas em suas festividades, códigos de sociabilidades e expressões.”.

Cristiane Santos em seu artigo publicado em 2011


Centro de Barra Grande. Fonte: Melhores Destinos

Qual a melhor época para viajar?

Por lá, não tem tempo ruim, exceto no mês de abril que chove muito. Logo, é possível viajar praticamente o ano todo.

Qual a melhor forma de chegar?

Não reclame da dificuldade de acesso. É isso que tem mantido as singularidades da Península de Maraú preservadas. A forma mais descomplicada para chegar é descendo no Aeroporto de Ilhéus, ir de carro até Camamu (115 km de Ilhéus) e dali pegar um barco ou lancha rápida até Barra Grande. Depois de chegar em Barra Grande, ir de carro estilo jardineira até sua pousada. Antes que desista, é possível contratar todo esse deslocamento com antecedência sem ter que se preocupar na hora ou alugar um carro. Mas, caso queira alugar um carro, lembre-se: só é possível ir até Camamu, dali deixar o carro em um estacionamento local e depois seguir viagem conforme explicado acima.

O que fazer na Península de Maraú?

Água de coco, suco de fruta, caipirinha e cerveja 

Com tantos coqueiros, água de coco é o que não falta na Península de Maraú. Rica em potássio, com poucas calorias e muitos nutrientes, a água de coco é excelente para hidratar o corpo e repor as energias. Outras opções são o açaí, servido em tigelas e os sucos de frutas naturais.  Mas no calor da Bahia, sol e praia pedem cerveja, em prosa, versos e músicas. Nas cabanas a beira mar, nas ilhas e vilarejos, ela é servida bem gelada em ambientes variados. 

Na Ilha do Sapinho, uma das paradas obrigatórias nos passeios de escuna pela baía de Camamu, pode-se apreciar a cachaça jamaica, que alguns chamam de confusão, uma infusão de caninha em folha de pimenta jamaicana. De noite, principalmente em Barra Grande, Ponta do Mutá, Três Coqueiros e Taipus, vários bares oferecem drinks variados e típicos da região. 

Luau, sarau e filarmônica – Música embalada pela paisagem 

Maraú é um dos raros municípios baianos que possui uma filarmônica. Desde 1925, com a unificação de duas bandas, a Filarmônica Lira da Conceição anima as festas da cidade. Uma das mais importantes é o Terno de Reis, que percorre Maraú no dia seis de janeiro. Em Algodões, tem o Tikal, bar de praia que é referência na Península pela qualidade da música, dos drinks e da gastronomia. Durante o dia é restaurante. À noite, o lugar abriga festas, shows e os famosos luais. Na beira da praia da Ponta do Mutá, o Café de La Musique, tem happy hour e, volta e meia, traz DJs internacionais como atrações e promove saraus e música eletrônica.

Praias, ilhas, povoados de pescadores, cachoeiras e lagoas no sul da Bahia

Um dos lugares mais bonitos do Brasil fica na ponta da baía de Camamu, entre Morro de São Paulo e Itacaré. A flora quase intocável e muitas praias dividem espaço com recifes, que na maré baixa formam piscinas naturais com muitos peixes. Barra Grande é o porto de entrada na Península. De simplicidade caiçara, convive em harmonia com pousadas, bares e restaurantes. A praia é extensa, com cabanas, areias claras e águas mornas.

Se quiser surfar, vá a Bombaça ou a Piracanga, última praia de Maraú. Para relaxar, faça uma caminhada pela mata e vá a Taipus de Fora curtir a imensa piscina natural. Se preferir aventura, a pedida é navegar por manguezais a beira dos rios do Céu e Maraú e ir à cachoeira do Tremembé, única no Brasil que deságua no mar, para uma hidromassagem natural. Na volta, caminhe pelo povoado de Tremembé, com ruas de paralelepípedos forradas de cravos-da-índia, sementes de cacau e castanhas de caju, que secam ao sol sobre retalhos de lona.

Cassange é programa obrigatório, com a lagoa de água doce separada da praia por 300 m de areia. Não deixe de subir ao Morro da Bela Vista (o Morro do Celular), para apreciar a maravilhosa vista. Vale a pena visitar Camamu com igrejas, antigas casas coloniais e as ilhotas da baia de mesmo nome. Ou ir à pequena Maraú, de ruas e casas antigas. Tem também Saquaíra, outro vilarejo de pescadores, com uma extensa praia quase deserta e coqueiros a perder de vista.

Sul da Bahia: a linda paisagem é cenário para importantes obras do cinema nacional

Considerada uma das regiões mais bonitas do Brasil, o sul da Bahia tem sido cenário para muitos filmes. A Coleção Invisível, de Bernard Attal, diretor francês radicado em Salvador, tem sua história baseada na obra homônima de Stefan Zweig e foi em parte rodado em Itajuípe. Lançado em 2013, é um dos últimos trabalhos profissionais de Walmor Chagas. Porto Seguro foi um dos cenários de Anchieta, José do Brasil, filme de Paulo Cesar Sarraceni, com Nei Latorraca e Hugo Carvana no elenco e lançado em 1977.

Outro clássico do cinema nacional é Os Deuses e os Mortos, de Ruy Guerra, com Othon Bastos no papel principal e que aborda a violência gerada pela luta entre clãs do cacau no Sul da Bahia. Entre os documentários, um dos mais recentes é Os Magníficos, também de Bernard Attal. Lançado em 2009, o filme discute as consequências sociais e pessoais da crise que atingiu a região cacaueira da Bahia, Estado em que o cacau já chegou a ser responsável por 86% das riquezas produzidas.

Turismo Socioeducativo – Projeto Maramar

E que tal prolongar um pouco mais sua estadia nesse paraíso e praticar o turismo socioeducativo? Na Península de Maraú tem essa opção também!


Escola comunitária Maramar. Fonte Escola Maramar

Projeto Maramar foi criado em 1997 a partir de projetos educacionais, culturais e ambientais filantrópicos focados no desenvolvimento sustentável. Sua prioridade é o incentivo ao desenvolvimento educacional “Educar para Transformar”. Em 2019, foram realizadas duas viagens com atividades educativas na Escola comunitária Maramar e atividades turísticas pelas praias da região. Por enquanto, não há previsão de retomada desses roteiros, mas é possível contribuir com esse projeto por meio de doações. Caso tenha interesse clique aqui.

Onde se hospedar?
Na Península de Maraú existem ótimas opções de hospedagem independentes que atuam de foram responsável, consciente e se alinham a nossa política de sustentabilidade! Confira algumas das nossas dicas:

  1. Pousada Lagoa do Cassage - Com localização privilegiada de frente para a praia, a Pousada Lagoa do Casage dá preferência para uso de alimentos biodinâmicos e orgânicos, produz seu próprio mel, pão, sobremesa e sabonetes, faz o manejo adequado dos seus resíduos, produz energia limpa com placas solares e contribui para o projeto Maramar. 
  2. Pousada Manati - Possui sua própria estação de tratamento de esgoto e reutiliza o volume de água tratada em ambientes externos, utilizam energia solar, dá prioridade para contratação de colaboradores locais, contribui para com eventos de cunho-sócio cultural e incentiva que seus hóspedes conheçam os comércios locais. 
  3. Hotel Terraços Marinhos - Localizada num ponto entre mar e lagoa na Península de Maraú, o hotel Terraços Marinhos emprega mão de obra local, utiliza o aquecimento solar, sistema de saneamento com reuso da água para irrigação, plantio de árvores regionais, além de contar com horta e pomar próprios.

Se encantou pela Península de Maraú? Pode ter certeza que podemos montar um roteiro incrível para você viver uma experiência inesquecível, responsável e consciente. Entre em contato conosco e vamos conversar sobre a sua próxima viagem!

Clube Turismo Ribeirão Preto/SP

CNPJ: 14.981.622/0001-52

Razão social: Assad & wassall turismo ltda

Clube Turismo® é uma marca registrada de Uvl Viagens e Turismo LTDA

A Clube Turismo não é responsável por erros descritivos.

Este site trabalha 100% em criptografia SSL.

Copyright © 2021 Clube Turismo | Politica de segurança | Politica de privacidade
Desenvolvido por Clube Turismo®